Este site é mantido por Rosane Agustoni

MAGIA

A UMBANDA

AMOR

O PENSAMENTO

O ISLAMISMO

MEDIUNIDADE DE CURA

MATERIALIZAÇÃO

CIRCULAÇÃO DE ENERGIA

HINDUISMO

INTUIÇÃO

O COMANDO MENTAL

HOMOSSEXUALIDADE

AUTO-APERFEIÇOAMENTO

ATENDIMENTO FRATERNO

A GLÂNDULA PINEAL

Espaço Gráfico- Serigrafia, Off-set e Web-design

 

DÉBORA S. e SILVIA W. D.

umbanda. [Do quimb. umbanda, ‘magia’.] S. m. 1. Bras. Forma cultual originada da assimilação de elementos religiosos afro-brasileiros pelo espiritismo brasileiro urbano; magia branca. 2. Bras, RJ. Folcl. Grão-sacerdote que invoca os espíritos e dirige as cerimônias de macumba. [ Var.: embanda.] Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1986

UMBANDA ( 1ª parte)
ORIGEM
A palavra Umbanda tem como origem Aumbandan do idioma sagrado Abanheenga que foi a primeira língua do Homem, todos os demais idiomas derivaram, ou sofreram forte influência deste que surgiu na 4ª sub-raça da Raça Vermelha, no Baratzil, a ” Terra do Cordeiro Divino” ( hoje Brasil - na região do Planalto Central ). É uma palavra vibrada, equilibrada nas vibrações da 4ª e 5ª raças, revelada, sendo que o seu som e grafia são a tradução mágica do próprio fenômeno de Deus em manifestação (magia que cria todos os universos físicos manifestados), engloba todo o conhecimento possível dentro da Lei. Aumbandan é a própria lei, ou o conjunto de leis divinas que regem o mundo fenomênico, que os magos manipulavam para combater os poderes da magia negra. O vocábulo sagrado “AUM” define os três poderes da manifestação: A: criação; U: transformação; M: conservação, que são a energia em estado potencial que entra em movimento através da Palavra Divina, o som mágico vibrado “ AUM “. E “ BRAM ” vem de Parabram - “ Deus Absoluto “, que toma um estado relativo com o Universo - Bram - Deus em manifestação. O movimento de “ BRAM ”, através do verbo “ AUM ”, cria o filho - raiz da matéria, que é o Universo Arquetípico Ideal. Forma-se a trindade de todas as religiões: Pai ( Bram ), Filho (a raiz da matária) e Espírito Santo (energia em movimento). ” No início era o Verbo AUM - o Triângulo Divino, Pai-Energia-Espaço, e AUM estava no próprio equilíbrio estável. Porque AUM era a própria essência do Absoluto. Mas AUM movimentou-se, a energia penetrou o espaço e apareceu o Filho, a matéria, que se fez carne e habitou entre nós - o mundo fenomênico; o mundo de matéria nasceu e nele vivemos”. “ AUM-BRAN ” , a lei precisa e perfeita, razão de ser da manifestação é a Lei Divina, Suprema, o próprio processo criativo em ação. De AUMBRAN surgiram as corruptelas Aumbam, Aumbahand, Aumbanda até chegar em Umbanda. A Aumbandan, dos tempos da Raça Vermelha ( Atlantes ), é a Proto-Síntese Cósmica que encerra em seu círculo Uno a Lei, e essa, por sua vez, exterioriza-se através da Sabedoria Integral e do Amor Cósmico, que movimentam a síntese inferior ou a Proto-Síntese Relígio-Científica, a qual equilibra de forma harmoniosa a Religião ( religare ), a Filosofia, a Ciência e a Arte - os quatro pilares do conhecimento humano inter-relacionados, formando um conhecimento integrado e não desassociado, como infelizmente observamos em nossos tempos. A Raça Vermelha que já possuía uma sólida concepção sobre as Coisas Divinas e uma superioridade moral ficou ainda mais fortalecida quando recebeu, através do encarne, Seres Espirituais de Pátrias Siderais adiantadíssimas em relação ao nosso esquema evolutivo que aqui incrementaram os conhecimentos plenos e puros da Lei Divina. O religare ( ligação do homem com as Coisas Divinas) era o AUMBANDAN. A crença destes Seres Espirituais da Raça Vermelha era calçada nos fundamentos mais puros da realidade cósmica e até deixava de ser crença, pois eles tinham uma ligação permanente, um canal sempre aberto com o plano astral superior. Todos na época, salvo raríssimas exceções, contavam com 7 sentidos, os 5 ( audição, visão, paladar, olfato e tato ) que temos hoje mais 2 sentidos superiores que lhes falcultava a visão e a intuição cósmicas; assim conheciam naturalmente outras dimensões, além das três que hoje conhecemos, portanto a mediunidade e a condição de médium (mediador entre dois planos) não existia, pois a comunicação com o astral era algo natural. Esses Seres da Raça Vermelha, que formavam o portentoso Tronco Tupy, se espraiou pelos 4 cantos do planeta, levando seus conhecimentos. Em suas futuras encarnações em outros locais do planeta, no meio de povos semibárbaros, tiveram que fazer adaptações a sua cultura, pois esses novos seres não tinham o mesmo cabedal moral nem eram tão creditados, ao contrário, debilitados perante a Lei Divina. Também aqui no Baratzil mesmo mantendo o máximo possível a pureza das concepções sobre as Coisas Divinas, os Seres Espirituais que vieram depois não souberam manter as Tradições. Após longos períodos (milênios) começaram a surgir as deturpações, interpolações, inversões de valores, cisões, etc. Os condutores da Raça Vermelha prevendo as deturpações e a inversão dos valores que surgiriam em favor do egoísmo, autoritarismo, poder temporal, etc., copilaram e velaram todo o conhecimento. E de fato, os cismas desde àquela época até os dias de hoje, vem travando a evolução e o entendimento em todos os níveis. Houve uma invasão no planeta de Marginais Cósmicos, que conseguiram uma brecha para entrada em função da “ Ponte Vibratória “ que conseguiram estabelecer com os Seres Espirituais atrasados aqui encarnados, iniciando assim a organização das hostes inferiores, formando uma oposição declarada aos Princípios da Lei e de todos os seus fundamentos na chamada KIMBANDAN ( Kimbanda ) que é o Oposto da Lei. Muitos conseguiram sanar seus débitos para com o planeta, entrando na justa linha do bem, porém a maioria delinqüiu, deturpou e confundiu a muitos e infelizmente esse fato permanece até os nossos dias. Desde então a Proto-Síntese sempre esteve presente em todos os povos de maneira velada, pois em virtude dos marginais cósmicos presisou ser ocultada, dando surgimento assim às Ciências Ocultas, ou Tradições Herméticas, pois o Conhecimento nas mãos dos hipócritas, mau intencionados seria, seguramente muito perigoso e danoso para toda a Humanidade. E apartir dessa época o Conhecimento foi fragmentado e disperso, a Ciência se opôs à Religião, a Filosofia se opôs a Ciência e esta se opôs à Arte. Os tempos de Amor e Sabedoria foram ficando para trás , houve um obscurecimento da humanidade, uma contaminação e deterioração da mente e da conduta que acabou por ocasionar o rompimento da “ porta “ de comunicação entre o plano astral e o físico e o surgimento da tela atômica, que é uma guarnição protetora aderida às últimas camadas do corpo etérico, com a função de filtrar ou impedir a percepção de imagens, sensações e vivências de outra dimensão ( fora das 3 da matéria física), bloqueando inclusive certos planos de memória (esquecimento das encarnações anteriores). Os outros órgãos superiores do sentido se atrofiaram, fazendo desaparecer a comunicação natural entre os dois planos. Isso aconteceu porque a pura Raça Vermelha, que já estava em um patamar superior na evolução, foi deixando de reencarnar, e outros Seres Espirituais desgarrados do Universo iniciaram seus processos evolutivos através da encarnação terrena. No final da Raça Atlante iniciaram-se os morticínios, criando um karma passivo muito negro aos seus executores intelectuais, desenrolaram-se verdadeiras Guerras Mágicas. A Magia, a Sagrada Arte passou a ser usada como poderosa arma para agredir, ferir e matar criando um confronto entre a Magia Branca ( o aspecto puro da Magia ) e a Magia Negra ( o aspecto deturpado ). Foi nessa época que surgiram as doenças, pois o corpo astral já estava totalmente adulterado, degenerado com vírus e bactérias devido ao acúmulo de pensamentos inferiores e animalizados, que surgiram como meio de equilibrar e sanar através da doença e da morte (antinatural) as mentes revoltadas, insubmissas e desequilibradas. A morte o sofrimento físico são a reação justa que enfrenta e dirime as ações que se precipitam, cobrando a renovação. Em meio a essa catástrofe, no final da 4ª Raça, por efeito do karma, surge a mediunidade como um caminho redentor para sanar as deturpações e reerguer a humanidade decaída e corroída pelos seus próprios desatinos. O médium foi o sacerdote que precisou ir ao encontro das massas aflitas e desesperadas, que muitas vezes precisava de fenômenos espetaculares para acalmar-se e encontrar forças para evoluir. A mediunidade é condição especial dado ao ser Espiritual que encarnava com o compromisso de ser o porta-voz vivo do astral superior, mas que também foi adotada pelo outro lado para disseminar o mau.
MOVIMENTO UMBANDISTA
O Movimento Umbandista é da atualidade e nada tem do verdadeiro Aumbandan, mas pretende restaurá-lo como a Verdadeira Proto-Síntese Cósmica. E os Seres Espirituais da pura Raça Vermelha, os quais estão no comando de todo o astral superior, se interpenetram nesse Movimento comandando-o e direcionando-o. A Umbanda surgiu no final do século XIX aqui no Brasil ( antigo Baratzil - onde iniciaram-se as deturpações e a divergência do Conhecimento Total e onde este deverá ser restaurado, pois no cenário astral e moral-espiritual desta localidade existe a responsabilidade de reimplantar em todo o planeta as Leis Divinas e a aplicação destas em forma de Amor e Fraternidade). Dentro dos cultos miscigenados de negros, índios e brancos, conhecidos como macumbas, candomblés, catimbós, torés, xambás babassuês, xangôs, etc. começaram a se manifestar, através da incorporação, entidades espirituais nas formas de índios ( Caboclos ) e Pais-Velhos que vieram trazer as mensagens dos espíritos ancestrais desses povos e logo apareceriam as entidades que se apresentavam como Crianças, completando o ternário de manifestação mediúnica que serviria de base para a sustentação da nova doutrina umbandista. O processo de sincretismo religioso facilitou a inclusão da cultura católica na Umbanda pela assimilação dos santos com as divindades do panteão africano e ameríndio. Foino início do século XX que a Umbanda recebeu sua primeira roupagem, com organização à parte dos cultos afro-ameríndios, através do médium Zélio Fernandino de Moraes que incorporava o Caboclo das Sete Encruzilhadas. Nessa época também surge o vocabulo para designar essa forma ritualística monoteísta, que cultuava os Orishas como representantes da Divindade e que tinha as entidades espirituais, que se manifestavam através da mediunidade de seus adeptos, como ancestrais ilustres enviados pelos Orishas. E, desde o início, a abertura universal era o estigma da Umbanda, as características mais marcantes deste culto eram a simplicidade, objetividade e ser aberta a todos os segmentos sociais, econômicos, religiosos ou étnicos.
• No dia 15 de novembro de 1908, em uma sessão da Federação Espírita de Niterói, iniciou-se oficialmente o Movimento Umbandista, com a manifestação de vários espíritos que se identificaram como índios ou caboclos e pretos-velhos escravos. Estes foram repelidos e convidados a se retirarem, então o Caboclo das Sete Encruzilhadas se apresentou manifestando sua revolta contra o preconceito quanto a origem social e cor das entidades que nem chegaram a ser ouvidas e anunciou a Missão que trazia do Astral de fixar as bases de um culto, no qual todos os espíritos de índios e pretos-velhos poderiam executar as determinações do plano espiritual e que no dia seguinte seria fundado um Templo, onde haveria igualdade para todos encarnados e desencarnados. No início as sessões seguiram algumas praxes doutrinárias do Espiritismo de Kardec para depois irem sendo adaptadas à realidade da Umbanda. O Caboclo das Sete Encruzilhadas deu o nome a esse culto de Umbanda, que seria “ a manifestação do espírito para a caridade” e ditou certas normas para a seqüência dos trabalhos, inclusive o atendimento absolutamente gratuito, roupagem branca simples, sem atabaques e palmas ritmadas, os cântigos seriam baixos e harmoniosos, e não seria mais utilizado qualquer tipo de sacrifícios de animais, nem para homenagear entidades, nem para desmanchar trabalhos de magia.
ORIXÁS E LINHAS
Orixá ( Purusha - forma original ) quer dizer “ Luz do Senhor “ ou “ Mensageiro do Senhor ”. São as Emanações de Luz procedentes do Pai Bram, através do Filho, os construtores do Universo físico. Cada qual ordena uma série menor de construtores e tem correspondência com um chacra, um dia da semana, um metal, um planeta, uma figura geométrica, um dos elementos e várias classes de elementais e elementares. São em número de sete e cada qual preside uma das sete Linhas em que se divide a Umbanda: Oxalá, Ogum, Oxossi, Xangô, Yemanjá, Yori e Yorimá. Os nomes dos Orixás em seus significados originais são trancedentais e profundamente metafísicos contando a história da própria criação e seus construtores.
OXALÁ é a linha do Cristo Solar, vem de Purushalha que significa a “ imanência de Deus” presente na manifestação através da hierarquia de seres celestes; é a própria manifestaçõa do Logos Solar. Nesta linha este Orixá tem correspondência com o chacra coronário, sua cor fluídica é o branco, seu metal correspondente é o ouro, seu dia da semana é o domingo, seu planeta regente é o Sol e atua nos sete elementos, bem como nos cinco sólidos perfeitos.
OGUM vem da corruptela de Aum e Agni (fogo sagrado) significando “ o fogo da salvação e da glória”, assim sendo ajuda o homem a vencer a batalha entre a personalidade e os instintos bestiais, contra o eu superior e aquilo de divino que existe em cada ser. Tem correspondência com o chacra umbilical, sua cor fluídica é o alaranjado vivo, seu metal correspondente é o ferro, seu dia da semana é terça-feira, seu planeta regente é Marte, e atua nos elementos ar, água, terra e fogo.
OXOSSI significa ação envolvente ou, esotericamente, o “ caçador de almas”. Tem correspondência com o chacra esplênico, sua cor fluídica é o azul, seu metal correspondente é o cobre, seu dia da semana é sexta-feira, seu planeta regente é Vênus, e atua no elemento terra.
XANGÔ vem de Camnaga que significa ” Dragão da Sabedoria”, é o Orixá da balança cármica, o comandadnte das almas. Atua no chacra cardíaco, sua cor fluídica é o verde brilhante, seu metal é o estanho, seu dia da semanaé quinta-feira, seu planeta regente é Júpiter, e prepondera sobre as quatro classes de espíritos da natureza principalmente os gnomos e as ondinas. Tem um grande poder de penetração no subsolo do planeta, nas montanhas e pedreiras ( mundo mineral ).
YEMANJÁ vem de Anamaya e Aemmaya e representa o eterno feminino da natureza, “a mãe do mundo”. Este Orixá está sempre presente na vida manifestada, pois ele é seu intermediário entre um plano e outro, é o portador da vida. Yemanjá por ser a doadora da vida está associado ao mar, pois do mar saiu o primeiro ser vivo e a água sempre foi o símbolo da maternidade. Atua no chacra frontal, ua cor fluídica é o amarelo pálido, seu metal correspondente é a prata, seu dia da semana é segunda-feira, seu planeta regente é a Lua, seu elemento é a água e suas figuras geométricas são a linha e o círculo.
YORI mantém a vibração original e significa “ relação com a Lei Divina” no sentido de religare, unir. É a linha da pureza associada às Crianças, ou melhor aos espíritos que assumem roupagens fluídicas infantis. Seu chacra respectivo é o laríngeo, sua cor fluídica é o vermelho, seu metal é o mercúrio, seu dia da semana é quarta-feira, seu planeta regente é Mercúrio e seu elemento é o ar.
YORIMÁ também é de vibração original - Yori e Má que juntos significam “a essência divina em ação”. É a linha dos Pretos-Velhos. Atua no chacra básico, sua cor fluídica é o violeta, seu metal correspondente é o chumbo, seu dia da semana é sábado, seu planeta é Saturno, o elemento que manipula é o fogo e também atua nos cinco sólidos perfeitos.

( 2ª parte )
Linha, Legião e Falange - São agrupamentos de entidades dentro das suas características vibratória e na faixa de atuação dos 7 Orixás.
• Numerologia é sagrada entre Orixás, Chefes de Legiões(Orixás Menores), Guias e Protetores e o n. se reduz a dez, pois 10 é um número perfeito, simboliza Deus.
• Cada Orixá tem 7 Orixás menores (chefes de Legiões) - total 49
• 49 Chefes de Legiões 7 guias - falanges - total - 343 guias
• 343 Guias 7 (protetores) 2.401 protetores.
Chefes de Legião - são coordenados pelos Orixás, não incorporantes, caract. Próprias, vibrações fluídicas ligadas a um som ou nota musical, a um determinado planeta.
Guias - são subordinados aos chefes de Legiões (atuam no plano astral, formam o corpo de ilusão (Nirmanakayas ajudam os encarnados por opção, esquecendo as vezes de subirem a planos superiores --Nirvana----)
• Possuem 3 formas de manifestação dos Guias e Protetores. Caboclo - simplicidade Preto Velho - humildade Criança - Pureza
Vibrações e Manifestações:
1) Vib. Anciões (Preto Velho) chacra base coluna , irradicavam. a mesma obrigando-se a curvar. Kundalini avivado provocava no aparelho uma mudança que exteriorizava na voz, parecida com a de um velho.
2) Vib. Instrutores (caboclo) plexo solar - provocava posição ereta, de baixo para cima, tipo guerreiro, fortalecendo idéia de um caboclo.
3) Vibração dos puros - chacra laringeo, voz tomava-se fina, pura, aparência de um criança, (aquele que renascia).
• Orixás - Para cada Orixá exístem 7 Orixás menores.
1 - Oxalá - Oxum
2 - Ogum - Obá
3 - Oxum - Ossaé
4 - Xango - Inhansã
5 - Yemanjá - Abaluaê
6 - Yori - Yariri nanã
7 - Yorimá - Nanã Buruque
Desenvolvimento Mediúnico: deve ser feito apartir da harmonização do médium e segue 12 preceitos básicos.
1) saber data e hora do nascimento do rnédiurn;
2) planeta regente;
3) planeta regente decanato;
4) signo Zodiacal;
5) Orixá correspondente.;
6) os três planos de manifestação do médium;
7) afinidades cármicas entre as entidades e o aparelho;
8) posição p/captar vibrações;
9) roupa apropriada;
10) pureza e sinceridade;
11) ponto cantado;
12) equilíbrio entre as vibrações.
* NOTA: incorporação é a mediunidade cármica que nem todos possuem o que existe hoje em dia são médiuns anímicos.
• Em todo o trabalho deve-se sempre identificar o tipo de mediunidade,.incorporação, irradiação, psicografia, intuição.
• Ritual da Incorporação: Pés descalços (p/descarregar o excesso de energia recebida), roupa adequada(branca), ficar de frente para o ponto cardeal da sua vibração, concentração, aguardar o auxílio do chefe espiritual e acompanhar o ponto cantado (seu Orixá), sem fazer teatro, usar toda a sua simplicidade.
3 PLANOS DE MANIFESTAÇÃO
1) Orixá - médiuns saindo mecanismo mediunico, terminando o seu carma, recebem a influência do plano mental inferior para atingir o grau do discípulo do caminho.
2) Guia - é comum embora raro, mediunismo refinado, porém de causa e efeito.
3) Protetor - é mais comum, rama ativo, incorporação psicofonia, intuição, tendo algumas encarnações a cumprir.
CARACTERISTICAS MEDIUNICAS DOS ORIXÁS (incorporação)
Oxalá - Incorporação suave, vibrada pelas costas e nuca, vibra aqui o chacra coronário, falam pouco, linguajar per feito e correto e não gostam de dar consultas somente para doutrinar, antes 9 da noite.
Oxossi - vibração do chacra esplênico, vibrações perna de baixo p/cima e no tronco aparelho, movimento de rotação rudes, gostam de das consultas, mestres cura através das ervas, falam pouco, caminham e assoviam, estalam os dedos,
Xango - modo brusco de incorporar, chacra cardíaco, raramente falam ou dão consultas, porem deslocam as mais sutis vibrações, e são humildes.
Yemanjá - povo do mar, vibrações e sensações de frio e arrepio pelos braços, tronco, costas, nuca e cabelos e pelo girar rápido(em função da perda de gravidade, chacra frontal, ativa as glândulas lacrimais, choram copiosamente, produzindo mantras de beleza) dá consultas e quando falam a voz é nuance profunda e indiscritiva, clara e cristalina.
Yori - crianças, sentam no chão, vibram o chacra laríngeo, vibração suave, gostam de doce.
Yorimã - Pretos Velhos - assoviam para eles é corno um rnantra, vibração triste, sons cansados. Caboclos: ritmo vivo, produzem instrumentos de percursão.
* Nota: Aumbram - Magos Brancos / Nigromancia - Magos Negros.
FINALIDADE DA UMBANDA:
1) Pemba - Era um giz que sevia para 1 rito, grafáva sinais cabalísticos(usados na magia), era a grafia do Orixá, obedeciam a sete sinais positivos que o identificavam; tipo de entidade, linha, falange, planeta, cor fluídica, elementos que manipulava, entidade que comandava.
2) Cores Orixás para a pemba: Oxalá - dourada, Oxossi - azul celeste, Ogum - escarlate, Xangô - anil, Yemanjá - branca prateada, Yori - alaranjada, Yorimá - verde clara.
MÃOS: UMBANDA - QUIROMANCIA Nos tempos memoríais os Kirmanakayas e os Karnarajás identificavam na palma da mão os sinais impressos (ajudavam a combater os magos negros), todos temos: 1 gênio planetário, 1 signo zodiacal, 1 Oríxá regente, 1 cor fluídica, 1 som próprio, 1 orientação corrente cósmica, 1 vibração chacra específico. Por isso podemos ler o passado e o futuro.
DEVANAGAR - Língua dos Deuses, som vibratório específico, originou-se de uma raiz sânscrita, partindo daí o livro sagrado dos Vedas, hinos mágicos, que nada são mais que os mantras. (sons místicos víbratórios que produzem afinidade entre a matéria e o espírito. Nota: quando uma entidade incorpora ele emite sons para poder manter a vibração constante do aparelho com a entidade.
BANHO DE ERVAS
1) Para que servem? a) para eliminar vibrações negativas, descarga, toma-se do pescoço para baixo b) para adquirir vibrações positivas, toma-se corpo inteiro.
2) Como tomar um banho de descarga: os pés devem estar em contato com a terra, não secar totalmente o corpo, usar r roupas limpas, jogar depois as ervas em água corrente. Não cozer as ervas, só ebulir. Usa-se sempre quantidade de ervas ímpares, cuida-se -se dos 4 pontos cardeais, conforme cada Orixá que nos rege. Cuida-se também se a pessoa tem um signo positivo ou negativo. Exemplo de signos positivos ou masculinos: áríes, gêmeos, leão, libra, sagitário e aquário. Exemplo de signos negativos ou femininos: touro. Cancer, virgem, escorpião, capricórnio e peixe.
*Nota: assim como temos signos positivos e negativos, temos dias da semana positivos e negativos. Exemplo positivo: Terça, Quinta e Sábado; exemplo negativo: Segunda, Quarta e Sexta. Hora positiva: números ímpares Hora negativa: número pares Dia: positivo Negativo: noite Planta positiva: cheiro ativo Planta negativo: inodora ou desagráveis, Todos estes fatores devem ser avaliados num banho de descarga: por exemplo, uma pessoa de signo positivo, deve tornar banho com flores e ervas colhidas em dia e horário positivo ao contrário do negativo.
DEFUMADORES É a queima de certas ervas especiais, com finalidades e fins, sempre aroma agradável usados em cerimônias, O Objetivo é descarregar o ambiente, queimar as larvas, cascões e escórias astrais, As ervas são específicas de cada orixá. Os comercializados não tem o mesmo valor do que os colhidos.
AS GUIAS É um tipo de amuleto que serve de proteção e defesa, é também um talismã mágico onde se imanta certos fluídos, vibrações para a magia positiva. O verdadeiro GUIA a é feito de elementos naturais encontrados nos mares, rios, matos, cachoeiras. São favas, sementes, raizes e devem, ser colhidas na hora planetária do oríxá, em dias apropriados e em fases da lua, depois são imantadas. Os guias coloridos nada tem a ver coma cor fluídica da entidade. O medium o usará apenas como talismã para um efeito psicológico.
O QUE É FAZER , A CABEÇA Esta expressão antiga é a abertura dos chacras. O mestre ensinava a abrir os mesmo e o último aberto seria o da consciência(coronário). Primitivamente fazia-se a tonsura no alto da cabeças(sacerdotes). Atualmente se faz a cabeça simbolicamente atuando apenas na parte etérica(lavam a cabeça com ervas apropriadas). Somente lá pelo sexto ou sétimo grau é feito a atuação dos 7 chacras com a finalidade de dar ao médium as qualidades fundamentais, visão, audição ou clarividência e clariaudiência.
O QUE É SARAVÁ E QUAL A SUA ORIGEM Saravá quer dizer Salve, irmão. E Oríginou-se nos tempos dos primeiros sacerdotes da Aumbram e era composto de 2 palavras: laô e Ava.(Adão e Eva). Não é só uma fórmula de cumprimento dos adeptos, mas um sentido altamente filosófico e oculto através vés do Supremo Pai. Na grande verdade, foi substuido o sinal da Cruz pela palavra chave e pelo tocar dos ombros, direito e esquerdo, querendo dizer que somos todos irmãos, pois somos filhos da mesma mãe e mesmo pai.
• O QUE É UM GONGÁ?
Primitivamente era o lugar sagrado das cerimônias, o local da moradia dos orixás, onde os magos brancos praticavam os seus rituais. Atualmente tomou-se um simples altar das orações cheios de imagens e ídolos. (fugiu muito da verdadeira realidade da Urnbanda).Existiam. 10 mandamentos que deviam ser seguidos, tipo: violar as mulheres, ferir o próximo, roubar, mentir, dissimular, injuriar, desejar mal ao próximo, desejar bens alheios, não se compadecer das misérias do próximo, adorar ídolos. O Gongá tem 2 finalidades específicas: ponto de fixação para os consulentes e ponto de fixação e eliminação as operações de magia.
O QUE É UM CAMBONO? Primitivamente era proveniente das antigas raças que praticavam o culto puro arcaico. Origina-se da junção das palavras Cam ou Cham: Om Mani Padme Hum, que significava: eu estou em ti e tu estás em mim. O mago auxiliar nas cerimônias, o homem perfeito.Era uma peça importante no culto, linguagem simbólica, ritos arcaicos, liturgia.Deveria t er grandes conhecimentos., tipo numerologia, som vibratório, ou magia sonora quimmancia, ete.. enfim conhecimento completo da Lei da Aumbram para poder atuar eficientemente nos trabalhos dentro da falange, subfalanges e legião exata. UM AUXILIAR ENTRE OS ORIXÁS, GUIAS E PROTETORES E OS FILHOS DE FÉ, QUE CONDUTA ILIBADA.
PARA QUE SÃO USADOS TAMBORES E PALMAS? São usadas em oportunidades adequadas no culto, para provocar vibrações mais acentuadas ou desarmônicas as vezes necessárias . Eram instrumentos sagrados usados na magia para deslocar camadas vibratórias. As mãos tem a mesma finalidade, são órgãos de ação por onde circulam correntes as mais variadas, provocando uma precipitação, deslocando fluidos desarmonicos.
O QUE MÁGIA? É um movimento capaz de produzir modificação, originando um desiquilibrio chamado dualidade, transitório ou permanente. Atua sempre na base do plano mental para penetrar em outros planos. Bons e maus pensamentos(pensamento é a base de tudo=faixa vibratória em que nos encontramos) A importância de manter-nos com o pensamento elevado é a base para que nada de mal funcione contra nós. Os apetrechos ou objetos concretos servem apenas como identificadores.O que realmente representa é a força do pensamento.
EXU - DEFINIÇÃO E ORIGENS A história primitiva do Exu refere-se ao filho mais moço do imperador que rebelou-se contra os magos brancos e difundiu uma doutrina contrária aos princípios dos magos brancos. Simbolizava o mal, o maldito, a magia, banido entre os bons, representação de negação, o demônio dos cristãos.Hoje em dia na Umbanda nascente, os agentes mágicos universais, o verdadeiro EXU nada mais tem com a Quimbanda ou com a magia negra. Trabalham todos eles na Umbanda branca como poderosos auxiliares dos Orixás, Guias e Protetores.
PRINCIPAIS EXUS
1.Exu 7 encruzilhadas - correspondência com Oxalá
Elemento: Prâna ou Energia Vital - Losango
2.Exu Tranca Ruas - correspondência com Ogum -
Elemento: Ar - Hexágono
3.Exu Marabô - correspondência com Oxossi.
Elemento Fogo: triangulo Equilátero
4.Exu Gira Mundo - correspondência com Xangô
Elemento: terra - Quadrado
5.Exu Pomba-gira - correspondência com Yemanjá
Elemento: água- meia lua horizontal
6.Exu Tiririca - correspondência com Yori ?
Elemento Éter - meia lua vertical a esquerda
7.Exu Pinga-Fogo - correspondência com Yorimá.
Elemento Manas ou Mental-meia lua vertical a direita
* Esses Exus impessoais são agentes da magia, por conseguinte, não são bons nem maus, dependendo de quem os manipule ou de quem faz a magia. A verdadeira finalidade do Exu na Umbanda além de policiar o mundo astral e combater a magia negra e justamente servir de intermediário na magia entre o plano terreno e o plano do Orixá.
O QUE SÃO TATTWAS? São as figuras geométricas correspondentes a cada Exu, a cada uma das sete vibrações, bem como o elemento. Os Exus precisam destes Tattwas o que é para nós a água, o ar para sobrevivermos, o Tattwa é vital para a suas existências.
POVO DA ENCRUZILHADA E POVO DO CEMITÉRIO ( dif. Entre Exu e Compadre) Na Magia temos a mesma disposição vibratória dando as linhas ódicas de materialização expresssa por figuras geométricas, como no mundo divino onde se encontra os nossos Orixás. Cada Exu se encontra na intereseção das linhas vibratórias, que formam a estrela de Salomão.Sete Interseções ou Sete encruzilhadas(linguar comum dos terreiros). A outra forma de expressão , Povo do Cemitério, está intimamente ligada aos ritos encantatórios e anigromancia dos tempos milenares,m praticados nos lugares onde se depositavam os cadáveres. Era a invocação dos mortos a outras práticas abnomináveis.
O QUE É EXU GUARDIÃO ?- É o responsável pelo plano terra do médium, bem como pelos Exus e compadres que eles trabalham.
O QUE É TRONQUEIRA ? ? É o assentamento do Exu que deve ser firmado nos terreiros, fora do gongá, com faixa de proteção dos médiuns e da própria tenda. É o protetor do plano oposto, dificilmente trabalha com o médium diretamente.
CORES FLUÍDICAS DE CADA EXU - A cor fluídica de cada Exu é o cinza, variando a matiz para cada falange. O cinza é a combinação da cor preta e branca, ou seja o bem e o mal, a Umbanda e Quimbanda. As tonalidades são as seguintes:
Exu sete Encruzilhadas - cinza claro
Exu gira mundo - cinza esverdeado
Exu Marabô -cinza azulado
Exu Pomba Gira - cinza pálido
Exu Pinga Fogo - cinza escuro
Exu Tiriri - cinza
Exu Tranca Ruas - cinza avermelhado.
Os Exus obedecem pontos cantados,, obedecendo a lei da Pemba,, fumam charutos, encharcados de cachaça(quando executa trabalho especiais de magia) Por que o álcool? Em virtude da volatidade e seus vapores tendo assim especifica atuação em determinada classe de entidades de baixa vibração. O médium pode beber cachaça e depois no seu estado normal nada sentirá, pois o álcool é absorvido completamente pelas entidades de baixa vibração. O exu apenas usa este artifício para poder trabalhar com estas entidades de baixa vibração.
O QUE É OFERENDA( DESPACHO ) PARA EXU ? É uma obrigação de magia dirigida, positiva ou negativa. É um presente para captar vibrações. Deve ser feita nas encruzilhadas das matas, dos campos ou das capoeiras, entre 21 e 24 horas.Deve ser seguida um ritual de elementos físicos(objetos, velas, flores, pano cinza, etc..) e observar sempre os elementos da natureza: terra, ar, água, fogo e éter. As oferendas encontradas nas esquinas, encruzilhadas nada tem a ver com o EXU, elas são destinadas a espíritos de baixa vibração, e só servem para alimentar larvas, etc.
O QUE É HORA GRANDE? É a meia noite, o meio dia e as seis da tarde. É o momento em que são liberados todas as potências negativas do planeta. As seis horas pode ser positiva ou negativa, por isso é considerada neutra.
*NOTA: A verdadeira Umbanda, é amor puro, espiritualismo e não admite sacrifício de animais (ama teu próximo como a ti mesmo).
A UMBANDA, BEM COMO TODAS AS CORRENTES RELIGIOSAS, É UM MEIO E JAMAIS UM FIM. É O MEIO USADO PELO DIRIGENTE DA RAÇA PARA FORJAR A SEMENTE DA CIVILIZAÇÃO DO TERCEIRO MILÊNIO. NÃO SE IMPORTA A FORMA COMO SE ADORA A DEUS OU COMO SE SEGUEM AS LEIS DIVINAS. DEUS TAMBÉM JÁ TEVE VÁRIOS NOMES E VÁRIAS FORMAS. IMPORTA É SEGUI-LAS ISTO SIM. E QUANDO OS HOMENS FOREM DE NOVO COMO CRIANÇAS, PUROS E SIMPLES, ENTÃO NÃO MAIS HAVERÁ ÓDIOS E DORES. AS DIFERENTES SEITAS E CORRENTES RELIGIOSAS TERÃO PASSADO E OUTRAS VIRÃO TOMAR OS SEUS LUGARES NUMA PURIFICAÇÃO PROGRESSIVA ATÉ QUE EXISTA APENAS UM SÓ REBANHO PARA UM SÓ PASTOR.
BIBLIOGRAFIA:
1) FERAUDY, Roger Pierre. Serões do Pai Velho o Catecismo de Umbanda. Obra mediúnica ( Babajiananda). 1ª ed. Porto Alegre: FEEU, 1987.
2) NETO, F. Rivas. Umbanda A Proto-Síntese Cósmica. 4ª ed. São Paulo: Pensamento, 2002.
3) SILVA, W. W. da Mata e. Umbanda e o Poder da Mediunidade. São Paulo: Ícone, 1997. Texto

© Todos os direitos reservados pora Rosane Agustoni
INÍCIO ESPIRITISMO UMBANDA ESOTÉRICOS Trabalhos Apresentados