Este site é mantido por Rosane Agustoni

MAGIA

A UMBANDA

AMOR

O PENSAMENTO

O ISLAMISMO

MEDIUNIDADE DE CURA

MATERIALIZAÇÃO

CIRCULAÇÃO DE ENERGIA

HINDUISMO

INTUIÇÃO

O COMANDO MENTAL

HOMOSSEXUALIDADE

AUTO-APERFEIÇOAMENTO

ATENDIMENTO FRATERNO

A GLÂNDULA PINEAL

Espaço Gráfico- Serigrafia, Off-set e Web-design

DÉBORA S.
DATA: 12/12/2001

O mandamento maior

Os fariseus. tendo sabido que ele tapara a boca dos saduceus, reuniram-se; e um deles, que era doutor da lei, para o tentar, propôs-lhe esta questão. - "Mestre, qual o mandamento maior da lei? " - Jesus respondeu: "Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o eu espírito: este o maior e o primeiro mandamento. E aqui tendes o segundo, semelhante a esse: Amarás o teu próximo, como a ti mesmo. - Toda a lei e os profetas se acham contidos nesses dois mandamentos." ( 5. Mateus, cap. XXII.vv.34 a 40.)

O amor resume toda a doutrina de Jesus, é o sentimento por excelência, e os sentimentos são o progresso dos instintos. Em sua origem, o homem só tem instintos (que são a germinação e os embriões do sentimento), a medida em que progride tem sensações e, finalmente, quando instruído e depurado, tem sentimentos. E a conquista dos sentimentos é a conquista do amor, não no sentido vulgar do termo, mas esse sol interior cujo foco condensa e reúne todas as aspirações e revelações sobre-humanas. A lei do amor supera a personalidade pela fusão dos seres e extingue as misérias sociais. Aquele que ama com amplo amor os seus irmãos em sofrimento, ultrapassando a sua própria humanidade, é ditoso, pois não conhece a miséria do alma, nem a do corpo.
É a lei natural que vige em todo o Universo e que se exterioriza de Deus mediante a Sua criação, portanto, é de essência divina e, todos nós, temos depositado esse gérmen," no fundo do coração por Deus no ato da criação. Então esse sentimento germina e cresce, se desenvolvendo através da moralidade e da inteligência que ensinam a dominar os impulsos e, mesmo comprimido pelo egoísmo dos homens, torna-se a fonte das santas e doces virtudes que geram as afeições sinceras e duradouras e ajudam a criatura em sua árdua caminhada na existência humana. A princípio inconsciente da sua realidade imortal, o ser é atraído para essa Grande Luz libertadora, lutando internamente para libertar-se, dando espaço para o discernimento e a razão, até que consiga introjetar esse sentimento profundo e mergulhe conscientemente na Lei Natural, para então conseguir utilizar-se da intuição, ou comunicação direta com o Pensamento Universal que está em toda parte e ascender aos planos da felicidade.
Para começarmos a praticar a lei de amor é preciso amar os nossos próximos indistintamente e matar o egoísmo. Nos mundos superiores, o amor recíproco é que harmoniza e dirige os espíritos adiantados que os habitam.
Os efeitos da lei de amor são o melhoramento moral da raça humana e a felicidade durante a vida terrestre. Não há mal que resista ao bem, pois o amor é contagiante e o contato com esse amor vivifica e fecunda os gérmens que dele existem, em estado latente, no coração de todas as criaturas. Mesmo os mais rebeldes e viciosos acabam por se reformar quando observam os benefícios resultantes do" amar ao próximo como a si mesmo ", ou não fazer aos outros o que não quiser que lhe façam, e sim fazer todo o bem que estiver ao seu alcance, e ai se dão conta que devem amar para serem amados.
Amar, em seu sentido mais profundo, é ser leal, íntegro e consciencioso para agir com os outros da maneira como gostaria que agissem consigo, procurando em torno de si o sentido de todas dores dos que nos cercam tentando suavizá-las. Em nome do amor deve-se considerar como sua a grande família humana, e para todos os sofrimentos ter sempre uma palavra de esperança e de conforto.
O ser humano em seu processo de Evolução tem como meta aprender a amar, e para tanto passa por inúmeros processos aflitivos que o farão despertar para a emoção superior e o amor começa a brotar a principio como um impulso conflitivo para depois agigantar-se preenchendo os espaços emocionais e despertando as tendências nobres, ao mesmo tempo em que vai diluindo aquelas de natureza inferior, animalizadas.

Carta de Paulo aos Corintios:

" Ainda que eu fale a língua dos homens
e dos anjos, se não tiver amor,
serei como o bronze que soa, ou como
o címbalo que retine.
Ainda que eu tenha o dom de profetizar
e conheça todos os mistérios e toda a ciência:
ajuda que eu tenha tamanha fé, a ponto
de transportar montanhas,
se não tiver amor nada serei.

E ainda que eu distribua todos os
meus bens entre os pobres
e ainda que entregue meu próprio
corpo para ser queimado,
se não tiver amor
nada disso me aproveitará.

O amor é paciente, é benigno,
o amor não arde em ciúmes,
não se ufana, não se ensoberbece,
não se conduz inconvenientemente.
não procura seus interesses,
não se exaspera.
não se ressente do mal;
não se alegra com a injustiça,
mas regozija-se com a verdade.
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera.
Tudo suporta.

O amor jamais acaba.
Mas, havendo profecias. desaparecerão;
havendo línguas. cessarão;
havendo ciência passará.
Porque em parte conhecemos,
em parte profetizamos.
Quando porém vier o que é perfeito,
o que então é em parte será aniquilado.

Quando eu era menino, falava como um
menino, sentia como um menino.
Quando cheguei a ser homem,
desisti das coisas próprias de menino.
Porque agora vemos como em espelho,
obscuramente, e então veremos face a face;
agora conheço em parte, e então
conhecerei como sou conhecido.

Agora, pois, permanecem a Fé,
a Esperança, e o amor.
Estes três.
Porém o maior deles é o Amor."

O amor é a regra que resume todas as outras regras e pode ser o nosso guia, se pensarmos e agirmos sempre com amor acertaremos sempre, cumpriremos a lei, e estaremos próximos ao Pai maior, O que de mais importante temos para dar é o reflexo do amor em nossas vidas.
Nos versos da carta de Paulo vemos que o amor o Dom Supremo, é uma coisa composta de muitas outras, tem vários ingredientes que estão em sua alma: Paciência ("O Amor é paciente" ), bondade ( é benigno"), generosidade ("o amor não arde em ciúmes" ), humildade (" não se ufana nem se emberbece" ), delicadeza ("O amor não se conduz inconvenientemente" ), entrega (" não procura seus interesses" ), tolerância (" não se exaspera"), inocência (" não se ressente do mal" ), sinceridade (" não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade").
O Amor não é um Dom em si, mas sim a soma de várias atitudes e palavras de nosso dia-a-dia. Aprendera amar deve ser o nosso objetivo no mundo, a lição mais importante que temos. E só vamos aprender a amar, nestesentido amplo em que estamos falando, com a prática constante, exercitando nossa alma para fortalecer o nossocaráter e idéias até atingirmos a maturidade espiritual. Devemos encarar a vida como um grande aprendizado, enão ficar lutando contra as coisas que nos acontecem, pois estamos praticando e temos a oportunidade de aprendera ser pacientes, humildes, generosos, entregues, delicados, tolerantes. Só podemos nos lapidar se fizermos partedo mundo. Mas devemos entender que o amor não pode ser definido, é muito mais que a soma de seus componentesé uma coisa viva, palpitante que deve entrar em nossos corações.
O Amor é um efeito e só vamos amar verdadeiramente quando conhecermos a causa.. Segundo a Epístola de João:" Nós amamos porque Ele nos amou primeiro." Deus é amor, somos manifestações do Amor, temos a centelha divina em nós; nosso coração vai se transformando aos poucos, portanto devemos contemplar o amor que nos é dado, e também saberemos como amar.
Quando aprendermos a amar também vamos entender que o amor é eterno, assim como Deus, e que tudo na vida é efêmero, só a amor continua, por isso de nada valem o deslumbramento ,os prazeres, o orgulho que duram breves momentos.0 amor verdadeiro não deve se prender às coisas do mundo. Somos almas imortais, por tanto devemos nos entregar a algo que também é imortal.
BIBLIOGRAFIA:
1) DRUMMOND, Henry. O Dom Supremo. Adaptação de Paulo Coelho. 1a ed. -Rio de
Janeïro: Rocco, 1991.
2) FRANCO, Divaldo Pereira.Amor Imbatível Amor. Ditado pelo Espírito Joanna de Angelis.
4a ed. Salvador:Livraria Espírita Alvorada Editora, 1998.3) FRANCO, Divaldo Pereira.Jesus e o Evangelho à luz da psicologia profuna. Ditado pelo
Espírïto Joanna de Ãngelis. 1 a ed. Salvador:Livrarïa Espírita Alvorada Editora, 2000.
4) KARDEC, Allan O Evangelho Segundo o Espiritismo. Trad. Guillon Ribeiro. 11 3~ ed. Rio de
Janeiro:FEB, 1944.
5) KARDEC, Allan O Livro dos Espiritos. Trad. Guïllon Ribeiro. 76a ed. Rio de
Janeiro:FEB, 1944.

© Todos os direitos reservados pora Rosane Agustoni
INÍCIO ESPIRITISMO UMBANDA ESOTÉRICOS Trabalhos Apresentados